davidb

quinta-feira, outubro 27, 2005

Quando um velho.

Já não há ninguém para ouvir minhas histórias.
Isso faz de mim um nada, uma coisa imprestável. Afinal de contas, o que somos senão um amontoado de vagas histórias misturadas e confundidas entre si?
Eu fui criança. Brinquei como todas. Às mesmas maneiras, costumeiramente igual a elas. Depois cresci e me tornei um adolescente paquerador. Tinha um talento vívido para conquistar as mulheres, alias acho que esse mérito ainda me é pertinente, mas não tenho porquê exercitá-lo. Trabalhei em diversos lugares. Conheci pessoas e pessoas. Vivi incontáveis histórias de riso, e algumas tragédias também. Casei, fiz filhos e meus filhos fizeram de seus filhos meus netos, a quem devo minha alegria ainda presente de viver. Mas minha história está se acabando. Hoje eu velho e solitário, num futuro muito próximo sem vestígios da minha existência. Eu fui só mais um dentre todos nós. Sem destaque especial, sem grandes conquistas, sem fama e nenhuma nova surpreendente descoberta. Vivi como me foi possível. Construí uma família, um lar e criei vidas para ouvirem minhas histórias. Para que eu não acabe quando morrer, pois hoje não tenho grandes assuntos a patilhar com o mundo. Apenas as coisas de que pude fazer parte no passado e minhas experiências frustradas e bem sucedidas. Tento me contentar com isso.

É tudo que se tem quando um velho ordinário. Quando um velho.

4 Comments:

Blogger Mandy said...

apenas um velho em seu pequeno mundo? dentro de seu pequeno mundo, bairro, família, amigos, com certeza foste um grande homem! muito lembrado, importante, renomado e querido. é o q importa. porém dentro do grande mundo planeta Terra, apenas mais um. Einstein tem toda a razao. tudo é relativo

4:58 PM  
Anonymous gUi! said...

escreva um livro...

5:07 PM  
Blogger Andrea said...

Todos somos insignificantes diante da imensidão do planeta, mas vc... que velhinho incrível vc será!!!

Beijos!!!!

8:38 AM  
Anonymous Glauber Magalhães said...

O legal de ter pessoas como o David no meu convívio (mesmo que meio distante), é que ele consegue transpor em palavras, coisas que eu fico pirando mas não consigo organizar as idéias para me expressar, muito foda esse texto cara!!! vc não sabe o qto ilucidou várias viagens minhas!!! Abraço Te Amo Cara!

9:36 AM  

Postar um comentário

<< Home